Umidade: uma grande inimiga do implante coclear

O implante coclear é o grande herói das nossas vidas. Mas todo herói tem seu ponto fraco. Assim como qualquer aparelho eletrônico, o arqui-inimigo dos nossos implantes auditivos é a temível UMIDADE!

Os processadores de implante coclear mais modernos tentar fazer o possível para se defenderem da umidade. Eles passaram a sair de fábrica com alguma proteção que os torna mais resistente à água. Assim, alguns modelos podem resistir à chuva e suor sem sofrer muitos danos (descubra o nível de proteção à agua do seu processador).

Porém a umidade se manifesta de muitas formas. Seja do clima, quando apresenta muita umidade no ar (em determinados locais e épocas do ano, pode chegar a 100%), seja pelo ambiente em que se esteja (praia, piscina, sauna, banheiro com muito vapor, etc), seja por intempéries (chuvas, tempestade, etc), seja pela maresia, seja pelo suor do corpo, etc…

Usando o desumidificador

Uma das primeiras coisas que um implantado ou pai/mãe de implantado precisa aprender a usar é o desumidificador elétrico.

O desumidificador nada mais é do que uma caixinha com um sistema de ventilação. Você deve colocar um compartimento de sílica que irá absorver a umidade e evitar a ferrugem ou corrosão das partes internas e contatos.

Ele realmente deve ser usado toda noite durante um ciclo completo ou, no máximo, uma noite sim e outra não.

Desumidificador portátil

Quando viajamos e não é possível levar o desumidificador, a opção é levar um pote ou case com fecho hermético, com sílica gel (aquela de bolinhas mesmo) no interior e deixar o processador fechado junto com a sílica durante a noite. Algumas lojas de aparelhos auditivos vendem um potinho pronto, com uma cestinha interna e um sachê de sílica.

Chuva e suor

Se o seu processador for resistente à água, ele provavelmente irá aguentar alguns minutos embaixo de chuva, o suor da academia ou seus cabelos úmidos. Mas em condições de extrema umidade – como passar por um temporal ou fazer atividades que te deixem muito suado – você pode considerar tirar o seu processador ou usar um acessório de proteção à água.

O ideal é que, ao chegar em casa, você seque o processador com um pano seco, abrindo todos os compartimentos e coloque-lo no desumidificador. Algumas pessoas preferem incluir uma boa limpeza com álcool isopropílico (que pode ser encontrado em farmácias, lojas de eletrônicos, lojas de aparelhos auditivos) e depois secar novamente com um pano seco e colocá-lo por algumas horas no desumidificador. Não use nenhum outro produto químico, sabão ou pano úmido, mesmo se o processador estiver sujo.

E se o processador cair na água?

O procedimento indicado é: NÃO ligue o processador!

Remova a bateria imediatamente, seque-o com um pano seco (se for necessário, inclua uma limpeza rápida com o álcool isopropílico) e coloque no desumidificador por dois ciclos completos junto com todos os acessórios que molharam (antena, bateria, etc) desencaixados. Dois ciclos significa deixar até a luz do desumidificador apagar, ligar de novo e esperar apagar mais uma vez. Isso geralmente leva umas 16hs. Só depois você poderá ligar o processador. Teste primeiro com uma bateria que não tenha molhado (se você tiver). Se não funcionar, aí pode-se encaminhar para a assistência técnica.

Nunca se deve secar um aparelho eletrônico com jato de ar quente ou secador de cabelo, pois pode derreter os componentes do processador.

Capinhas protetoras

Existem algumas capinhas protetoras de silicone, nylon ou neoprene que podem ajudar a evitar o contato do suor com o processador. Alguns fabricantes possuem seus próprios modelos, mas também é possível encontrar pessoas que vendem essas capinhas feitas à mão em grupos do Facebook e Whatsapp.

Você também pode fazer a sua própria capinha. Em um tópico no nosso grupo de Implante Coclear no Facebook, deram a ideia de usar bexigas cortadas ou aquele filme plástico de alimentos. Se for usar bexigas, tome o cuidado de limpar o talco usado dentro delas. Evite cobrir os furos do microfone e os respiros da bateria descartável. As baterias de implante coclear precisam de ar para funcionarem.

Para praia ou piscina

Se você vai tomar banho de mar ou de água doce, não dá para arriscar. Você vai precisar de uma solução realmente à prova d’água. Nestes casos não dá para tentar fazer uma capinha você mesmo. Se seu processador não é totalmente à prova d’água, você precisará de uma capinha que te permitirá nadar e mergulhar.

Na praia, essas capinhas à prova d’água também protegem da areia e da maresia.

Lembre-se: evite que o protetor solar e o repelente entrem em contato com o processador.


Quando o calor chega a um nível que você percebe que pode ser prejudicial para o IC, infelizmente, a melhor dica é deixar de usar sempre que possível.

Pessoalmente, prefiro arriscar. Não suporto ficar sem meu implante coclear!

Beijinhos sonoros,
Lak Lobato

P.S. uma dica que já ouvi de gente entendida do assunto é usar um pouquinho de desodorante antitranspirante atrás da orelha. Mas precisa ser reaplicado várias vezes por dia, em dias quentes que fazem a gente pingar de tanto calor.

2 palpites

  1. Incrível! Depois de 4 anos, limpando diariamente, o processador contra o pó e humidade, e o processador no conserto, é que vem as instruções! Fico contente com suas orientações, evitando todas os problemas, tendo que ficar tanto tempo sem o mesmo! Obrigada por nos orientar!!

  2. Usei a vida inteira o AAASI e não tive problemas por isso nunca ocorreu estes problemas! Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *